Todos devem sujeitar-se às autoridades governamentais, pois não há autoridade que não venha de Deus; as autoridades que existem foram por ele estabelecidas. Portanto, aquele que se rebela contra a autoridade está se colocando contra o que Deus instituiu, e aqueles que assim procedem trazem condenação sobre si mesmos. Pois os governantes não devem ser temidos, a não ser pelos que praticam o mal. Você quer viver livre do medo da autoridade? Pratique o bem, e ela o enaltecerá. Pois é serva de Deus para o seu bem. Mas se você praticar o mal, tenha medo, pois ela não porta a espada sem motivo. É serva de Deus, agente da justiça para punir quem pratica o mal. Portanto, é necessário que sejamos submissos às autoridades, não apenas por causa da possibilidade de uma punição, mas também por questão de consciência. É por isso também que vocês pagam imposto, pois as autoridades estão a serviço de Deus, sempre dedicadas a esse trabalho. Deem a cada um o que lhe é devido: Se imposto, imposto; se tributo, tributo; se temor, temor; se honra, honra.

Romanos 13:1-7

Neste artigo quero abordar um assunto que foge geralmente aos que escrevo. Será algo mais voltado para o discipulado, caráter cristão.

Espero trazer luz a um tema que é pouco debatido nas igrejas, pois temos a hábito de classificar os pecados, consequentemente aqueles que não são tão cabulosos acabam sendo esquecidos e não combatidos. Causando danos terríveis posteriormente, afinal pecado é pecado, seja ele classificado como grave ou brando pela igreja. O pecado faz separação entre Deus e o homem, pois Deus não habita no pecado. Quero discorrer sobre o pecado da pirataria.

A pitaria é o ato de copiar algo sem a permissão e disponibilizar para terceiros ignorando todos os direitos autorais. Isso engloba filmes, séries, músicas, livros, jogos, softwares.

Pirataria é crime – Violação de direito autoral ou violação do direito do autor de programa de computador, Artigo 184 do Código Penal. Se é crime e o cometemos também é pecado.

Uma das primeiras menções da expressão “piratas” data do século 17 em um documento inglês. Eram os piratas de palavras, pois copiavam conteúdo escrito indevidamente (fonte: Mundo Estranho).

O Brasil é o país que mais pirateia séries de TV no mundo, segundo levantamento da revista Variety (fonte: Notícias da TV). Eu entendo que esses índices são tão altos, porque existe público para consumir.

Em 2014, em nosso país, a pirataria on-line gerou um prejuízo de R$ 800 milhões, no comércio tradicional chegou à bagatela de R$ 30 bilhões! (fonte: Folha de S.Paulo).

Infelizmente muitos cristãos têm entrado nessa onda, achando que não tem nada a ver.

Assine nossa newsletter e receba conteúdo exclusivo.

Pense comigo: qual a diferença entre eu sair da minha casa, ir até as Lojas Americanas, pegar um Blu-ray de O Hobbit, esconder dentro de minha mochila e sair sem pagar; e eu abrir meu computador, acessar um desses sites piratas, baixar O Hobbit em 4K? Para mim, nenhuma, tudo é furto. Tudo é pecado.

Para se ter uma ideia foram gastos 270 milhões de dólares para se fazer o filme o Hobbit. São milhares de profissionais, dignos de seus salários, envolvidos. E um site disponibiliza isso de graça? É no mínimo estranho, não?

Essa lógica se aplica a tudo que é produzido. Se é bem feito, creia, existem profissionais capacitados que passaram anos de suas vidas investindo tempo em estudos, investido financeiramente em cursos, especializações e treinamentos para que pudessem criar algo de excelência.

O engano em que muitos cristãos têm caído é achar que o mundo digital é um mundo em que não existe lei. Talvez seja uma força do hábito, pois muitos não entendem que existe um mundo espiritual muito real, tanto quanto o natural.

Quando você deixa de dar a cada um o que lhe é devido, está pecando. Aquele Windows pirata no seu PC é roubo. Aquela série, jogo, filme, software que você baixou de graça é roubo. A verdade é essa.

O que me entristece é o fato muitos ainda piratearem dando a justificativa que é algo para o Reino. Eu já encontrei diversas páginas na internet de pessoas que se dizem cristãs e pegam o conteúdo do Amo Minha Célula, dão um jeito de cobrir o logo, ou a fonte e postam como se fossem o original. E se você chama a atenção é tachado de egoísta que não pensa no Reino. Eu não discuto com essas pessoas mais, mas isso mostra o nível de onde estamos chegando.

Você pode dizer: “Mas eu não pirateio nada, só consumo o que os piratas disponibilizam”. Tenho dois textos que podem tirar suas dúvidas.

I Timóteo 5:22 – Não se precipite em impor as mãos sobre ninguém e não participe dos pecados dos outros. Conserve-se puro.

Efésios 5:11 – Não participem das obras infrutíferas das trevas; antes, exponham-nas à luz.

Em Cantares 2:15 diz: Apanhai-nos as raposas, as raposinhas, que fazem mal às vinhas, porque as nossas vinhas estão em flor.

As raposas prejudicavam às vinhas pois comiam os frutos. Mas porque dar importâncias às raposinhas? Elas são muito pequenas nem alcançam o fruto. É aí que mora o perigo, as pequenas raposas eram as mais perigosas, já que não conseguiam pegar os frutos elas roíam as raízes e matavam a vinha.

Temos que estar atentos. As “pequenas” raposinhas tem minado nossa vida como Deus, o nosso relacionamento com o Espírito Santo. Tem nos matado pela raiz.

Que Deus o abençoe!