Na Conferência do MDA, realizada em Palmas-TO. A equipe do Amo Minha Célula (AMC) teve a oportunidade de estar com o Pr. Abe Huber, idealizador da Visão do MDA e, hoje, pastor da Igreja da Paz de Fortaleza. O Modelo de Discipulado Apostólico (MDA) tem revolucionado muitas igrejas no Brasil e no Mundo, através da volta às raízes do discipulado UM a UM aplicado ao contexto de células. O resultado é a entrevista exclusiva que segue. Aproveitem!

AMC: A igreja de Santarém tem mais de 60mil pessoas e mais de 7 mil células. A de Fortaleza já conta com mais de 4.000 pessoas. Qual o segredo desse sucesso, pastor?

Abe Huber: Realmente acima de tudo é a graça de Deus. Nós entendemos claramente que não é por causa de nós, mas apesar de nós. Apesar de nossas falhas e limitações, Deus tem derramado a sua graça acima de tudo. É uma coisa muito linda que o ministério esteja nas mãos do povo, então quando a igreja funciona como ela deve funcionar, com o ministério nas mãos do povo, o sacerdócio individual do cristão é praticado de fato e de verdade. Ovelha sadia sempre dá muita cria, e o segredo desse crescimento é baseado na qualidade e não no marketing, ou na habilidade de um líder ou no carisma ou dons de um líder, mas sim no fato de que as ovelhas são sadias.

AMC: Qual foi a experiência mais marcante em seu ministério?

Abe Huber: A experiência mais marcante no ministério depois do novo nascimento, de entregar minha vida a Jesus com 5 anos de idade e ser batizado no Espírito Santo com 16 anos de idade, foi em 1992 quando eu tive uma experiência muito interessante. Em 7 de fevereiro de 1992 eu estava completando 32 anos de idade. Eu estava sozinho com Deus na sala da minha casa quando o Espírito Santo manifestou a Sua presença de uma forma tão gloriosa. Tive uma experiência muito profunda com o Espírito Santo, onde Ele me mostrou coisas sobre a minha vida, meu futuro e especificamente sobre a Igreja da Paz em Santarém. Daquele momento em diante eu nunca mais duvidei do que Ele iria fazer em Santarém, e de lá pra cá minha maior preocupação tem sido não atrapalhar o Espírito Santo, mas deixar Ele realmente cumprir através de mim  a vontade de Deus. Em outras palavras, não tem nada a ver comigo, mas sim tudo a ver com Ele porque é Ele quem faz a obra, nós somos apenas o canal e temos que sempre nos lembrar disso, de que sem Ele nós não fazemos nada.

AMC: Que conselho daria para os jovens líderes de célula?

Abe Huber: Na realidade eu sempre repito a mesma coisa porque pra mim esse é de longe o conselho mais importante. A intimidade com Jesus, cultivar um profundo relacionamento com o Senhor, e lembrar que ninguém é uma ilha, precisamos realmente viver uma vida de transparência com o discipulador. Precisamos ter uma prestação de contas da nossa vida, do nosso ministério. Se o líder de célula tivesse intimidade com Deus, essa transparência e prestação de contas e com tudo humildade de aprender com os outros, pagar o preço que for necessário de aprender fazer a célula crescer, vai com quem está crescendo e multiplicando, se humilhe, vai atrás, sugue de quem já está sabendo crescer, porque o problema com muitos líderes de célula que não crescem é que são orgulhosos demais para admitir que tem que aprender com o outro, orgulhosos demais para perguntar para alguém que as vezes é até mais novo na fé, mas que é mais bem sucedido na célula. Os segredos: se humilhar, aprender com outros. Esse é o grande entrave, o orgulho o egoísmo que tem impedido muitos líderes de célula de multiplicar mais. Na medida em que as pessoas vão se humilhando na presença de Deus e se humilhando diante dos seus irmãos que estão crescendo mais, e aprender com eles. Eles acabam abrindo as portas do céu sobre a vida deles, porque a Bíblia mesmo fala que Deus dá graça aos humildes, mas resiste aos soberbos. Por isso que todos nós temos que escolher nos humilhar diante de Deus e diante dos nossos semelhantes.

AMC: Existe algum sonho ministerial que ainda não realizou em sua vida?

Abe Huber: Ah, claro! Muitos! Até que todos sejam convertidos no planeta Terra e até que todos sejam também profundamente discipulados, todas as famílias restauradas e curadas, pessoas congregando em enormes igrejas em célula e em todas as cidades do mundo inteiro, meus sonhos jamais se encontrarão realizados (risos). Nós realmente temos o mundo para ganhar para Jesus, Ele que nos deu essa ordem, de fazer discípulos por todas as nações. Eu fico muito emocionado com isso, de trabalhar e nos aplicar no maior de todos os sonhos, os sonhos de Deus. Cumprir a grande Comissão.

AMC: Qual o valor da liderança em sua vida?

Abe Huber: Na realidade em termos espirituais depois do relacionamento com Deus, em termos de cobertura, proteção e embasamento para tudo que hoje eu sou e tenho no ministério se resume em Deus em minha liderança e em minha família. Abrindo um parêntese, antes de casar meu ministério era um, depois de casar meu ministério explodiu Deus tem usado muito minha esposa, meu casamento, dentro da vontade de Deus foi muito importante e tanto eu quanto minha esposa reconhecemos que depois de Deus, o segredo do nosso ministério estar como está é por causa da nossa cobertura, a liderança que está sobre a nossa vida.

AMC: Pastor, o senhor pode compartilhar alguma situação complicada ou engraçada que viveu como líder de célula?

Abe Huber: Eu já tinha liderado muitas células, mas nesse caso eu estava congregando em uma célula lá em Santarém eu era o pastor titular da igreja, mas estava ali auxiliando em uma determinada célula de empresários onde estava muito sem graça. Não rompia, não crescia e eu estava tentando encontrar o segredo de como fazer aquela célula se tornar contagiante, gostosa, mais atraente; e parece-me que eu estava quase caindo naquela mentira do diabo de que com as pessoas um pouco mais intelectualizadas, um pouco mais abastecidas financeiramente a célula não seria talvez tão maravilhosa e tão gostosa como ela funciona com o povão. Nessa época  entramos em crise, tanto eu como os membros daquela célula e começamos a colocar em prática entre nós naquela célula a visão do purê de batatas; Foi aí que começou toda uma revolução, não só naquela célula, mas em todas as nossas células a partir da explosão de crescimento de qualidade e quantidade que começou a acontecer naquela célula, então aquela crise acabou redundando em muitas bênçãos para nós.

[Segunda Parte]

Agradecemos à Jullyana Pimenta por sua fundamental colaboração, sem a qual não seria possível essa entrevista ser postada.