Do ponto de vista da sua mãe, elas são criaturas nojentas “chupadoras de sangue”, para os cientistas são apenas gueconídeos, mas para alguns elas são versões bonsai dos terríveis dinossauros, me refiro às lagartixas, aquelas criaturinhas que você sempre encontra na sua casa ou na casa dos seus amigos.

Podemos encontrá-las com maior frequência nas paredes, perto das lâmpadas onde estão tomando um bronzeado de boa, alguns dizem que elas andam desse modo para evitar possíveis predadores, mas todo mundo sabe que elas não andam no chão porque é sujo mesmo.

A bíblia nos ensina que devemos aprender com as lagartixas, que mesmo sendo tão facilmente pegas com nossas mãos, são encontradas nos palácios dos reis.

Quatro seres da terra são pequenos, e, no entanto, muito sábios: … a lagartixa, que se pode apanhar com as mãos, contudo, encontra-se nos palácios dos reis. Provérbios 30:24,28.

Entrar em um palácio real não é um privilégio de todos, uma série de restrições são impostas para quem deseja estar na presença do rei, se alguém tentar forçar estas restrições logo será preso e punido. Mas isso jamais acontece com esses bichinhos peritos em atuar como penetras. Este fato ocorre por um princípio muito básico, porém essencial.

O princípio é a simplicidade, as lagartixas são facilmente pegas com as mãos. Isso nos fala de acessibilidade, Jesus era assim, ele era simples e por este motivo, acessível, ele tinha o peso de conhecimento de um rabi, mas brincava com as crianças e apregoava as boas novas aos simples segundo sua linguagem, observem seus sermões cheios de parábolas contextualizadas com realidade popular daquela nação.

Lembre-se daquele momento em que ele, antes de falar com Pedro, entra no barco de Pedro, entra em seu contexto social, Jesus sabia como se misturar, ele sabia como se tornar um deles a fim de salvar quantos possíveis, não como estrangeiro, mas sim como irmão e amigo.

Para que possamos ser bons líderes de células e bons pastores, precisamos colocar este princípio em prática. Montesquieu afirmou que “para fazer grandes coisas, não é necessário estar acima do povo, mas sim junto dele”, devemos estar com as pessoas, comer com elas, chorar com elas, rir e se divertir com elas.

Quando mudarmos nossa postura de celebridade e agirmos como verdadeiras lagartixas do reino de Deus, alcançaremos os lugares e corações mais improváveis possíveis, apregoaremos as boas novas nos palácios e diante dos reis, mas também estaremos salvando os mais desprezíveis que se encontram a beira do precipício e perto dos portões do inferno.